Saiba mais

Pronto Atendimento

Conheça a classificação de prioridade do nosso Pronto Atendimento:

Emergência

Pacientes cujo atendimento não pode aguardar. O atendimento precisa ser imediato.

Muito urgente

Pacientes que precisam ser atendidos o mais rápido possível. Atendimento em aproximadamente 10 min.

Urgente

Pacientes com necessidade de atendimento rápido, mas que podem aguardar. Atendimento em aproximadamente 30 min.

Pouco urgente

Pacientes que podem aguardar atendimento por algum tempo. Atendimento em aproximadamente 90 min.

Não urgente

Pacientes que podem aguardar ou procurar atendimento eletivo. Atendimento sem estimativa aproximada de tempo.

Pacientes em estado de emergência têm prioridade e poderão passar na frente de outros pacientes que estão na fila de atendimento.

O Pronto Atendimento é um serviço exclusivo de emergência. Por isso, não realizamos:

  • Atendimentos eletivos, como investigação de queixas crônicas.
  • Emissão de atestados e exames físicos para concursos e atividades físicas.
  • Prescrição de medicamentos controlados para uso contínuo.
  • Testes de gravidez.
Tempo de Espera
Saiba mais

Pronto Atendimento

Conheça a classificação de prioridade do nosso Pronto Atendimento:

Emergência

Pacientes cujo atendimento não pode aguardar. O atendimento precisa ser imediato.

Muito urgente

Pacientes que precisam ser atendidos o mais rápido possível. Atendimento em aproximadamente 10 min.

Urgente

Pacientes com necessidade de atendimento rápido, mas que podem aguardar. Atendimento em aproximadamente 30 min.

Pouco urgente

Pacientes que podem aguardar atendimento por algum tempo. Atendimento em aproximadamente 90 min.

Não urgente

Pacientes que podem aguardar ou procurar atendimento eletivo. Atendimento sem estimativa aproximada de tempo.

Pacientes em estado de emergência têm prioridade e poderão passar na frente de outros pacientes que estão na fila de atendimento.

O Pronto Atendimento é um serviço exclusivo de emergência. Por isso, não realizamos:

  • Atendimentos eletivos, como investigação de queixas crônicas.
  • Emissão de atestados e exames físicos para concursos e atividades físicas.
  • Prescrição de medicamentos controlados para uso contínuo.
  • Testes de gravidez.

País tropical: identidade nacional ou risco à saúde?

Altas temperaturas podem gerar danos, desde desidratação até infarto; cuidados redobrados são necessários para crianças, idosos e pessoas com comorbidades.

O aumento de temperatura no Brasil entre os anos de 2000 e 2018 resultou na morte de aproximadamente 48 mil pessoas, de acordo com um estudo recente realizado por pesquisadores de sete instituições brasileiras e portuguesas, incluindo a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e a Universidade de Lisboa. 

Embora as ondas de calor sejam por vezes subestimadas em relação a outros eventos climáticos, elas podem acarretar sérias consequências para a saúde, sendo associadas a problemas como insolação, desidratação e um aumento nos casos de infarto e AVC (Acidente Vascular Cerebral) durante as épocas mais quentes.

Doenças do calor

A clínica médica dos hospitais Universitário Cajuru e São Marcelino Champagnat, Larissa Hermann, destaca que a maioria dos problemas de saúde relacionados ao calor excessivo está ligada à tentativa do organismo de manter a temperatura corporal adequada em relação ao ambiente. “Essa compensação térmica pode resultar em desequilíbrio térmico, levando a complicações como desidratação, exaustão e insolação. Em casos extremos, pode até causar infarto e agravar algumas condições  específicas, como o lúpus, que tende a piorar devido à exposição ao calor”, esclarece.

A alta temperatura também impacta diretamente na saúde cardiovascular. “O calor afeta a saúde do coração, porque causa desidratação, o que pode resultar em uma série de problemas. Além disso, temperaturas muito elevadas podem alterar os vasos sanguíneos, afetando a pressão arterial, especialmente em pessoas que têm  quadros de variações de pressão, podendo ocorrer uma queda mais significativa durante esse período”, exemplifica o cardiologista dos hospitais Universitário Cajuru e São Marcelino Champagnat, Gustavo Lenci.

Faixas de risco

Algumas faixas etárias têm a saúde especialmente afetada pelas altas temperaturas e podem acabar sofrendo com casos mais graves por serem mais sensíveis aos efeitos de mudanças bruscas do clima. “Grupos mais vulneráveis, como idosos e crianças, têm de tomar cuidados redobrados, justamente porque eles têm uma sensibilidade maior à perda de água, e isso acaba facilitando o desenvolvimento de problemas causados pelo aumento excessivo das temperaturas”, expõe a médica.

Mas o alerta vale para todas as pessoas com condição prévia de saúde. “Não só pacientes cardíacos, mas todas as pessoas com comorbidades sofrem mais risco em temperaturas elevadas. Isso porque uma pessoa saudável tende a se adaptar melhor às variações climáticas, tanto para o frio extremo quanto para o calor”, complementa o cardiologista Gustavo Lenci.

Cuidados a serem tomados

Para se proteger dos efeitos do calor, a hidratação é fundamental. Recomenda-se ingerir pelo menos dois litros de água ao longo do dia. Além disso, é aconselhável proteger-se ao máximo do sol utilizando protetor solar e barreiras físicas, como boné, chapéu e roupas com proteção solar. “Perdemos muita água ao tentar regular a temperatura do corpo, então, é muito importante manter a hidratação. Se possível, também é ideal evitar atividades físicas mais intensas, principalmente nos horários mais quentes ou em ambientes abertos com exposição ao sol”, finaliza Hermann.

Sobre o Hospital São Marcelino Champagnat

O Hospital São Marcelino Champagnat faz parte do Grupo Marista e nasceu com o compromisso de atender seus pacientes de forma completa e com princípios médicos de qualidade e segurança. É referência em procedimentos cirúrgicos de média e alta complexidade. Nas especialidades destacam-se: cardiologia, neurocirurgia, ortopedia e cirurgia geral e bariátrica, além de serviços diferenciados de check-up. Planejado para atender a todos os quesitos internacionais de qualidade assistencial, é o único do Paraná certificado pela Joint Commission International (JCI).

Sobre o Hospital Universitário Cajuru

O Hospital Universitário Cajuru é uma instituição filantrópica com atendimento 100% SUS e com a certificação de qualidade da Organização Nacional de Acreditação (ONA) nível 1. Está orientado pelos princípios éticos, cristãos e valores do Grupo Marista. Vinculado às escolas de Medicina e Ciências da Vida da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), preza pelo atendimento humanizado, com destaque para procedimentos cirúrgicos, transplante renal, urgência, emergência, traumas e atendimento de retaguarda a Pronto Atendimentos e UPAs de Curitiba e cidades da Região Metropolitana.

Compartilhe nosso post!

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

Exames de imagem incorporam novas tecnologias e contribuem para diagnóstico preciso e tratamento eficaz na Saúde 

Cirurgia para endometriose devolve qualidade de vida a mulheres com dores frequentes e incapacitantes 

Tem dor de garganta? Saiba identificar sintomas 

O que a pandemia nos ensinou que podemos usar no enfrentamento à dengue?  

Sintomas comuns incluem fadiga incapacitante, esquecimentos frequentes e comprometimento cognitivo.