Saiba mais

Pronto Atendimento

Conheça a classificação de prioridade do nosso Pronto Atendimento:

Emergência

Pacientes cujo atendimento não pode aguardar. O atendimento precisa ser imediato.

Muito urgente

Pacientes que precisam ser atendidos o mais rápido possível. Atendimento em aproximadamente 10 min.

Urgente

Pacientes com necessidade de atendimento rápido, mas que podem aguardar. Atendimento em aproximadamente 30 min.

Pouco urgente

Pacientes que podem aguardar atendimento por algum tempo. Atendimento em aproximadamente 90 min.

Não urgente

Pacientes que podem aguardar ou procurar atendimento eletivo. Atendimento sem estimativa aproximada de tempo.

Pacientes em estado de emergência têm prioridade e poderão passar na frente de outros pacientes que estão na fila de atendimento.

O Pronto Atendimento é um serviço exclusivo de emergência. Por isso, não realizamos:

  • Atendimentos eletivos, como investigação de queixas crônicas.
  • Emissão de atestados e exames físicos para concursos e atividades físicas.
  • Prescrição de medicamentos controlados para uso contínuo.
  • Testes de gravidez.
Tempo de Espera
Saiba mais

Pronto Atendimento

Conheça a classificação de prioridade do nosso Pronto Atendimento:

Emergência

Pacientes cujo atendimento não pode aguardar. O atendimento precisa ser imediato.

Muito urgente

Pacientes que precisam ser atendidos o mais rápido possível. Atendimento em aproximadamente 10 min.

Urgente

Pacientes com necessidade de atendimento rápido, mas que podem aguardar. Atendimento em aproximadamente 30 min.

Pouco urgente

Pacientes que podem aguardar atendimento por algum tempo. Atendimento em aproximadamente 90 min.

Não urgente

Pacientes que podem aguardar ou procurar atendimento eletivo. Atendimento sem estimativa aproximada de tempo.

Pacientes em estado de emergência têm prioridade e poderão passar na frente de outros pacientes que estão na fila de atendimento.

O Pronto Atendimento é um serviço exclusivo de emergência. Por isso, não realizamos:

  • Atendimentos eletivos, como investigação de queixas crônicas.
  • Emissão de atestados e exames físicos para concursos e atividades físicas.
  • Prescrição de medicamentos controlados para uso contínuo.
  • Testes de gravidez.

Higienização das mãos: um dos pilares da segurança para o paciente

É um protocolo indispensável que ajuda a prevenir contaminações e infecções que podem colocar em risco a saúde dos pacientes, familiares e profissionais da saúde.

Na rotina de atendimento a pacientes em hospitais, há um ato aparentemente simples, mas de imenso valor: a higienização das mãos. É um protocolo indispensável que ajuda a prevenir contaminações e infecções que podem colocar em risco a saúde dos pacientes, familiares e profissionais da saúde. 

É um fator tão crucial para a segurança assistencial que a Organização Mundial da Saúde (OMS) instituiu, em 2007, o 5 de maio como o Dia Mundial da Higienização das Mãos. Desde então, campanhas de conscientização mundiais são lançadas anualmente com o objetivo de divulgar, de forma clara e didática, a importância dessa prática que salva vidas. 

Fazer bem e fazer sempre!  

Além da higienização habitual as mãos, recomendada tanto para profissionais da saúde quanto para pacientes e familiares, a técnica correta também é importante para garantir a segurança de todos. Afinal, é por meio de uma eficaz higienização das mãos que se pode evitar verdadeiramente a disseminação de agentes nocivos. Por isso, é imprescindível ter a consciência de que um simples descuido pode gerar diversos problemas, inclusive casos graves de infecção.  

Vamos conhecer as boas práticas de higienização?  

Para realizar a higiene das mãos, pode ser utilizada tanto a lavagem simples com água e sabão quanto a fricção alcóolica com álcool a 70%.  

  • Água e sabão: lave as mãos até a altura do pulso por, no mínimo, 60 segundos. 
    Preparação alcóolica 70%: esfregar todas as superfícies das mãos por, no mínimo, 20 segundos. 

Ao lavar as mãos, esfregue bem as seguintes partes: dorso e palmas das mãos, entre os dedos, polegares e a ponta dos dedos.  

Repita esse ato diversas vezes por dia. Principalmente em situações como: antes de comer, após tocar em objetos, ir ao banheiro e espirrar ou tossir.  

Também é importante saber que os profissionais de saúde devem higienizar as mãos em 5 momentos principais durante os atendimentos:  

  • Antes de tocar o paciente para cumprimentar ou examinar; 
  • Antes de realizar qualquer procedimento como por exemplo, administrar uma medicação, trocar um curativo ou realizar uma punção venosa;
  • Após o manuseio de curativos, bolsas de urina ou outras situações que possam ter o risco de exposição a fluidos corporais;  
  • Após tocar o paciente; 
  • E após tocar superfícies próximas ao paciente. 

Está tudo bem perguntar, a qualquer momento, se o profissional que está realizando o atendimento já higienizou as mãos.    

Como você pode perceber, a higienização das mãos é uma responsabilidade compartilhada entre todos. Lembre-se também de que a técnica correta e a repetição frequente é a ação chave para salvar vidas minimizar os riscos de doenças!  

Compartilhe nosso post!

Hospitais de Curitiba recebem prêmio de excelência em saúde

O Hospital passa a se chamar São Marcelino Champagnat

Hospital Marcelino Champagnat é acreditado pela 3ª vez consecutiva em segurança do paciente

5 tipos de cânceres que podem ser evitáveis

Uma a cada quatro pessoas sofre com arritmias cardíacas

Nova regra da Fifa prevê retirada do jogador da partida após pancada na cabeça; 13% das contusões graves do Mundial de 2018 foram de choques na cabeça e região cervical
Você conhece as causas do esquecimento e quando é o momento ideal para procurar um neurologista? Saiba já com nosso especialista.
Câncer de próstata levou a 44 mortes diárias de brasileiros em 2021, mas doença não é a única que recebe diagnóstico tardio pela falta de acompanhamento médico dos homens
Ex-técnico da Seleção Brasileira de Futebol, Felipão, faz palestra nos hospitais Universitário Cajuru e Marcelino Champagnat.
Estudos indicam que casos de demência podem triplicar até 2050; esquecimento nem sempre está presente entre os primeiros sintomas da doença
Confira os sintomas e situações que são indicativos para a busca do Pronto Atendimento do Hospital Marcelino Champagnat
Recomendado é fazer uma consulta antes da viagem e providenciar receitas médicas em inglês para não passar apertos
Procedimento pioneiro no Paraná foi realizado no Hospital Marcelino Champagnat e é indicado para pacientes com alto risco cirúrgico
Resistência a antibióticos pode levar à morte de 10 milhões de pessoas por ano a partir de 2050
Apesar de menos nocivo que o cigarro comum, dispositivo oferece risco de infarto e doenças pulmonares
Casados há 64 anos, Izan e Albanita ficaram 12 dias separados; melhora foi significativa após equipe de saúde unir os dois
30% das pessoas que sofrem de hipertensão desconhecem o diagnóstico por falta de sintomas
Número de testes caiu durante a pandemia; tratamento garante qualidade de vida, mas preconceito contra infectados ainda é grande
Continuaremos trabalhando arduamente para o retorno à normalidade
Há 13 anos, passo um grande pedaço do meu dia em um ambiente que, infelizmente, passou a fazer parte da história de muitas famílias a partir do ano passado: a Unidade de Terapia Intensiva.
Câncer e doenças cardiovasculares são mais comuns na população masculina
Médico norte-americano especialista em grandes tumores veio a Curitiba (PR) especialmente para realizar procedimento, ainda raro no Brasil