Saiba mais

Pronto Atendimento

Conheça a classificação de prioridade do nosso Pronto Atendimento:

Emergência

Pacientes cujo atendimento não pode aguardar. O atendimento precisa ser imediato.

Muito urgente

Pacientes que precisam ser atendidos o mais rápido possível. Atendimento em aproximadamente 10 min.

Urgente

Pacientes com necessidade de atendimento rápido, mas que podem aguardar. Atendimento em aproximadamente 30 min.

Pouco urgente

Pacientes que podem aguardar atendimento por algum tempo. Atendimento em aproximadamente 90 min.

Não urgente

Pacientes que podem aguardar ou procurar atendimento eletivo. Atendimento sem estimativa aproximada de tempo.

Pacientes em estado de emergência têm prioridade e poderão passar na frente de outros pacientes que estão na fila de atendimento.

O Pronto Atendimento é um serviço exclusivo de emergência. Por isso, não realizamos:

  • Atendimentos eletivos, como investigação de queixas crônicas.
  • Emissão de atestados e exames físicos para concursos e atividades físicas.
  • Prescrição de medicamentos controlados para uso contínuo.
  • Testes de gravidez.
Saiba mais

Pronto Atendimento

Conheça a classificação de prioridade do nosso Pronto Atendimento:

Emergência

Pacientes cujo atendimento não pode aguardar. O atendimento precisa ser imediato.

Muito urgente

Pacientes que precisam ser atendidos o mais rápido possível. Atendimento em aproximadamente 10 min.

Urgente

Pacientes com necessidade de atendimento rápido, mas que podem aguardar. Atendimento em aproximadamente 30 min.

Pouco urgente

Pacientes que podem aguardar atendimento por algum tempo. Atendimento em aproximadamente 90 min.

Não urgente

Pacientes que podem aguardar ou procurar atendimento eletivo. Atendimento sem estimativa aproximada de tempo.

Pacientes em estado de emergência têm prioridade e poderão passar na frente de outros pacientes que estão na fila de atendimento.

O Pronto Atendimento é um serviço exclusivo de emergência. Por isso, não realizamos:

  • Atendimentos eletivos, como investigação de queixas crônicas.
  • Emissão de atestados e exames físicos para concursos e atividades físicas.
  • Prescrição de medicamentos controlados para uso contínuo.
  • Testes de gravidez.

O tratamento da obesidade e a cirurgia bariátrica

A obesidade é uma doença crônica que pode estar associada a outras condições e prejudica tanto a saúde quanto a qualidade de vida do paciente. Por isso, o tratamento deve incluir uma mudança no estilo de vida para que a perda de peso aconteça de forma saudável e duradoura.

A cirurgia bariátrica é um dos tratamentos mais conhecidos para a obesidade, mas deve ser recomendada e acompanhada por uma equipe médica, aliada à reeducação alimentar e realização de atividades físicas. Além disso, é preciso levar em consideração outros problemas de saúde ligados à obesidade antes da realização da cirurgia.

Para um tratamento bem-sucedido, também é fundamental que o paciente tenha força de vontade e determinação para mudar seus hábitos. Nesse sentido, o acompanhamento psicológico contribui para o gerenciamento das emoções que irão ajudar no emagrecimento.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM), a obesidade é caracterizada pelo acúmulo excessivo de gordura corporal no indivíduo. Para a realização do diagnóstico, é calculado o índice de massa corporal (IMC) como parâmetro.

O IMC é calculado dividindo-se o peso do paciente pela sua altura elevada ao quadrado, de forma que o resultado é definido da seguinte forma:

  • IMC menor que 18,5 kg/m²: magreza;
  • IMC entre 18,5 e 24,9 kg/m²: normal;
  • IMC entre 25,0 e 29,9 kg/m²: sobrepeso (obesidade grau I);
  • IMC entre 30,0 e 39,9 kg/m²: obesidade (grau II);
  • IMC maior do que 40,0 kg/m²: obesidade grave (grau III).

No Brasil, mais da metade da população está acima do peso e a obesidade atinge um a cada cinco brasileiros, segundo uma pesquisa divulgada em 2019 pelo Ministério da Saúde. 

As causas da obesidade podem incluir predisposição genética, hormonal, metabólica ou comportamental, mas também pode ser desenvolvida a partir de maus hábitos alimentares e sedentarismo.

A obesidade é considerada fator de risco para uma série de doenças e condições associadas, como:

  • Hipertensão;
  • Doenças cardiovasculares;
  • Aumento do colesterol;
  • Aumento dos triglicérides;
  • Diabetes Mellitus tipo 2;
  • Câncer;
  • Apneia do sono;
  • Pedras na vesícula;
  • Entre outros.

Tratamentos para a obesidade além da cirurgia bariátrica

Para emagrecer, o paciente deve mudar seus hábitos alimentares e adotar a atividade física na sua rotina. Essa mudança de estilo de vida não é simples e exige muita determinação, força de vontade e acompanhamento profissional para perder peso e manter a saúde a longo prazo.

Para isso, é importante ter objetivos realistas e entender que a transformação não acontecerá de um dia para o outro. 

O paciente deve ter em mente que é preciso substituir os velhos hábitos por outros mais saudáveis e entender a importância desses novos costumes para sua saúde de maneira geral.

A cirurgia bariátrica é recomendada para pacientes com idade entre 18 e 65 anos, IMC igual ou superior a 40 kg/m², com ou sem comorbidades, ou IMC entre 35 e 40 kg/m² na presença de comorbidades. 

Além disso, o paciente deve apresentar IMC estável há 2 anos, no mínimo, e não ter obtido sucesso com outras formas de emagrecimento.

Para um tratamento eficiente, a reeducação alimentar é fundamental, pois o paciente reduz a ingestão calórica total e passa a consumir alimentos mais saudáveis, como frutas, verduras e legumes. 

Esse método também pode ser acompanhado de psicoterapia e outras formas de suporte emocional ou social para auxiliar o paciente a perder peso.

A realização de exercícios físicos é outro método de emagrecimento que deve ser integrado à rotina do paciente para complementar a dieta alimentar. 

Dessa forma, é possível reduzir o apetite, melhorar o perfil de gorduras e aumentar a sensação de bem-estar e autoestima.

Para combatê-la, é preciso que a obesidade seja reconhecida como uma doença crônica, e não apenas uma questão de vontade de emagrecer. Além disso, é preciso considerar o tratamento de outros problemas de saúde ligados à obesidade para melhorar a saúde do paciente como um todo.

O Hospital Marcelino Champagnat possui profissionais especialistas em Cirurgia Bariátrica e em diversas outras especialidades além de oferecer estrutura e tecnologia de ponta. É o único hospital do Paraná reconhecido pela Joint Commission International (JCI), a maior acreditação do mundo em qualidade e segurança assistencial. A

Compartilhe nosso post!

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

Hospitais de Curitiba recebem prêmio de excelência em saúde

Mulheres enfrentam maior risco de lesões em joelhos na prática de esporte

Covid longa: quatro anos depois, pacientes infectados no início da pandemia mantêm acompanhamento constante

Médicos elaboram guia de atendimento emergencial para pacientes bariátricos

O Hospital passa a se chamar São Marcelino Champagnat

Novo equipamento faz mapeamento do coração em 3D que oferece maior precisão. Hospital Marcelino Champagnat é o único do Paraná a dispor dessa tecnologia.
O evento terá duração de três dias, finalizando em 11 de março. A última edição aconteceu em formato on-line e, por isso, as datas mencionadas marcam o retorno presencial do Congresso, que dessa vez será em São Paulo – SP.
A arritmia cardíaca é uma condição caracterizada pela falta de ritmo nos batimentos do coração. Ela pode ser sintoma de algum problema (físico ou psicológico) para o organismo ou fruto de um desequilíbrio do próprio órgão.
Nova regra da Fifa prevê retirada do jogador da partida após pancada na cabeça; 13% das contusões graves do Mundial de 2018 foram de choques na cabeça e região cervical
Você conhece as causas do esquecimento e quando é o momento ideal para procurar um neurologista? Saiba já com nosso especialista.
Câncer de próstata levou a 44 mortes diárias de brasileiros em 2021, mas doença não é a única que recebe diagnóstico tardio pela falta de acompanhamento médico dos homens
Ex-técnico da Seleção Brasileira de Futebol, Felipão, faz palestra nos hospitais Universitário Cajuru e Marcelino Champagnat.
Estudos indicam que casos de demência podem triplicar até 2050; esquecimento nem sempre está presente entre os primeiros sintomas da doença
Confira os sintomas e situações que são indicativos para a busca do Pronto Atendimento do Hospital Marcelino Champagnat
Recomendado é fazer uma consulta antes da viagem e providenciar receitas médicas em inglês para não passar apertos
Procedimento pioneiro no Paraná foi realizado no Hospital Marcelino Champagnat e é indicado para pacientes com alto risco cirúrgico
Resistência a antibióticos pode levar à morte de 10 milhões de pessoas por ano a partir de 2050
Apesar de menos nocivo que o cigarro comum, dispositivo oferece risco de infarto e doenças pulmonares
Casados há 64 anos, Izan e Albanita ficaram 12 dias separados; melhora foi significativa após equipe de saúde unir os dois
30% das pessoas que sofrem de hipertensão desconhecem o diagnóstico por falta de sintomas
Número de testes caiu durante a pandemia; tratamento garante qualidade de vida, mas preconceito contra infectados ainda é grande
Continuaremos trabalhando arduamente para o retorno à normalidade